• Estação Romana da Quinta da Abicada

    Estação Romana da Quinta da Abicada

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

  • Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

    Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

  • Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

    Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

  • Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

    Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

  • Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

    Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

  • Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

    Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

  • Torreões do Castelo de Loulé

    Torreões do Castelo de Loulé

  • Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

    Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

  • Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

    Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

  • Castelo de Paderne

    Castelo de Paderne

  • Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

    Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

  • Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

    Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

  • Fortaleza e Promontório de Sagres

    Fortaleza e Promontório de Sagres

  • Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

    Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

Página Inicial Monumentos do Algarve Bons Momentos Bons Momentos Prémio Regional Maria Veleda

Em Destaque

DIA NACIONAL DAS BANDAS FILARMÓNICAS - 1 SETEMBRO

Comemoração Regional| 1 setembro| Largo da Sé | FARO | 21h30

As bandas filarmónicas representam uma parte expressiva do total de agrupamentos musicais não profissionais em Portugal, com intervenção notória a nível local, remontando a história da sua atividade ao primeiro quartel do seculo XIX.

A sua presença é particularmente indispensável nas festas religiosas e em atos solenes, cruzando vários domínios musicais nos seus repertórios, para além de se constituírem como uma rede paralela de escolas de música em todo o país.

Das cerca de 700 bandas filarmónicas e fanfarras em atividade no país, sensivelmente metade é associada e mantém uma relação privilegiada com a Fundação Inatel, cuja ação se tem pautado pelo estímulo à continuidade da expressão cultural e artística destes agrupamentos musicais e culturais e pelo contributo estruturado para a sua atividade continuada, através da concessão de apoio para aquisição e reparação de instrumentos, da promoção de concursos de incentivo à criação e composição, de formações em várias áreas, de intercâmbios e de outras participações.

Hoje, as Bandas Filarmónicas constituem-se como meios de dinamização cultural e musical, assumindo funções socioeconómicas de grande valor, que é importante aproveitar e incentivar pois possuem um papel essencial na democratização da música, bem como se constituem em espaços de partilha, de inclusão e de promoção de coesão social. Como demonstração do reconhecimento do trabalho que as bandas desenvolvem a favor da sociedade e da cultura, em 2013 o Governo instituiu o dia 1 de Setembro como o Dia Nacional das Bandas Filarmónicas.

À semelhança do ano passado, a Fundação INATEL realiza uma comemoração regional em Faro, numa parceria estreita com a Direção Regional da Cultura do Algarve e o Município de Faro, contando com o apoio do Teatro das Figuras e da Confederação Musical Portuguesa no apoio à divulgação.

convite apresentação do livro

"Contributos para a história da alimentação algarvia" de Luísa Martins

edição da Direção Regional de Cultura do Algarve

 

A Direção Regional de Cultura do Algarve e a Câmara Municipal de Tavira convidam para a apresentação do livro "Contributos para a história da alimentação algarvia" de Luísa Martins, edição da Direção Regional de Cultura do Algarve e que acontecerá no âmbito da Feira da Dieta Mediterrânica, no dia 2 de setembro no Clube de Tavira, pelas 18H.

Esta é a 2ª publicação no âmbito da nova linha editorial e da política de publicações iniciada em 2014 pela Direção Regional de Cultura do Algarve.

Com a consagração da Dieta Mediterrânica como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO, a alimentação ganhou uma atenção especial na região e no país.

O estudo da memória escrita nas actas de vereação do concelho de Loulé de 1384 a 1488 que Luísa Martins nos trás, revelou-se um património riquíssimo, que demonstra como esta necessidade básica fundamental para a nossa subsistência, determinou confrontos e decisões políticas.   

O passado do Algarve tem vindo a ser construído a partir da investigação da documentação histórica disponível e do seu estudo. Esta nova edição dá um novo contributo para a ampla difusão desse conhecimento.

Informamos ainda sobre outras actividades promovidas no âmbito da Feira da Dieta Mediterrânica pela Direção Regional de Cultura do Algarve:

Para além da presença institucional na Feira em stand, terão ainda lugar Workshops diários de doce fino de Lagos, promovidos pela Associação de Artesãos do Barlavento. O Doce Fino de Lagos encontra-se em processo de inventariação e registo no inventário nacional do Património Cultural Imaterial, em estreita parceria com a Associação de Artesãos do Barlavento e com o apoio da Direção Regional de Cultura do Algarve.

Estas ações integram o Plano de Actividades para a Salvaguarda da Dieta Mediterrânica que está a ser desenvolvido em rede na região com a participação de várias entidades.

Esperamos contar com a sua presença e contributo na salvaguarda deste Património da Humanidade.

    Alexandra Rodrigues Gonçalves

Diretora Regional da Cultura do Algarve

Cartaz

“Peregrinação. A partir dos painéis de São Vicente”

Tem lugar na Fortaleza de Sagres, dia 03 de setembro, pelas 16h, a inauguração da exposição coletiva de artes plásticas “Peregrinação. A partir dos painéis de São Vicente”.

O projeto, uma organização e produção da Tertúlia Associação Sócio-Cultural de Aljezur, integra intervenções dos artistas plásticos Ana Celorico Machado, Christoph Rumpf, Bettina Semmer, Joana Villaverde, Pedro Leitão e textos de Jacinto Palma Dias.
Convocando a força dos Painéis de S. Vicente atribuídos a Nuno Gonçalves, obra ícone da cultura portuguesa ligada à época e à história da expansão portuguesa, e do Cabo de S.Vicente, ponto último da peregrinação e de culto deste santo, a intervenção coletiva em espaços vários da Fortaleza de Sagres encerra em si o desejo dos artistas, de que o atual espaço monumental retome o seu papel de local de peregrinação e que ao longo dum período de tempo uma sucessão de intervenções plásticas deixe a sua marca, como as camadas duma história que se faz, as marcas deixadas num local pelos passantes. 
As intervenções, partem de uma interação com o próprio monumento, remetem para a ideia de descoberta, de estratificação do processo histórico, cruzando a deslocação no espaço e a viagem no tempo, na procura e no encontro com os outros, numa reinterpretação que pretende fazer a ponte com a actualidade.

A inauguração contará ainda com a leitura de textos de Jacinto Palma Dias, apontamentos musicais e uma performance culinária com o Chefe José Pinheiro.

A exposição estará patente até dia 24 de setembro e decorre no âmbito do programa da Direção Regional de Cultura do Algarve – DiVaM 2016 – O Espírito do Lugar, em parceria com agentes culturais da região.

Cartaz Prémio Maria Veleda

Prémio Regional «Maria Veleda»|2016

 

Aberto a apresentação dos projetos ao Prémio Regional "Maria Velada" até ao dia 9 de setembro de 2016

Todas as informações aqui

Programa Algarve – de valorização artística e promoção do território

Abertas novas propostas até 23 agosto

DIVULGAÇÃO

 

O Programa Algarve – de valorização artística e promoção do território, nasce de um desafio das Secretarias de Estado da Cultura e do Turismo ao criadores, associações culturais e Municípios do Algarve para apresentarem propostas de forma a construir um programa cultural colaborativo e participado, que visa aumentar a oferta cultural nos meses de outubro de 2016 a maio de 2017.

Nesse sentido, divulga-se a abertura de novo período de apresentação de propostas entre 9 e 23 de agosto para os agentes culturais e criadores que não o tenham realizado na primeira fase.

Para mais informações sobre o Programa Algarve – de valorização artística e promoção do território, bem como para o envio das propostas (de acordo com o formulário em anexo) devem fazê-lo para Dália Paulo dalia.paulo@mc.gov.pt  ou para o telemóvel - 917804605.

Formulário

 

LogoPrograma de Apoio à Internacionalização

Estão abertas até 31 de agosto as candidaturas para o Programa de Apoio à Internacionalização das Artes 2016, nas áreas da arquitetura, artes digitais, artes plásticas, dança, design, fotografia, música, teatro e cruzamentos disciplinares.

Com um montante financeiro global disponível de 400.000,00 euros, este programa irá apoiar um número máximo de 45 candidaturas.

O Programa de Apoio à Internacionalização visa o apoio à representação e circulação internacional de artistas e produções artísticas, pelo que as candidaturas deverão propor a apresentação pública de projetos fora do território nacional. Podem candidatar-se as pessoas coletivas e grupos informais com residência fiscal em Portugal continental e pessoas singulares que aqui exerçam maioritariamente a sua atividade profissional.

O prazo limite de apresentação de propostas é de 31 de agosto.

Mais informações aqui - www.dgartes.pt

 Assinatura do Protocolo de Colaboração para Valorização, Restauro e Conservação da Torre Albarrã do Castelo de Paderne Castelo de Paderne

O Castelo de Paderne está classificado com o grau de Imóvel de Interesse Público, pelo Decreto N.º 516/71 de 22-11, e, beneficia de uma Zona Especial de Protecção, nos termos da Portaria n.º 978/99, Diário da República (2.ªsérie). A sua classificação como um bem de valor cultural nacional atendeu a que corresponde ao paradigma de um hisn - uma pequena fortificação rural hispano--muçulmana do período almóada (2ª metade do século XII e primeiras décadas do século XIII)-  em cujas muralhas foi utilizado um único e já perdido processo construtivo, a taipa militar e que  a estrutura chegou, até nós, mantendo a técnica construtiva e o desenho que lhe deram os seus fundadores, no século XII.

Os vestígios arqueológicos, no interior do castelo, correspondem ao urbanismo islâmico da fundação, às posteriores ocupações medieval e moderna, e, à ruína de uma capela que teria a actual configuração, em inícios do séc. XVIII.

No âmbito regional, pelas suas características estruturais e pela qualidade ambiental e paisagística da sua envolvente, o castelo de Paderne impõe-se como um notável valor cultural, que ganha um reforçado sentido devido à sua plena compatibilidade com o uso turístico, associado ao facto de se situar no concelho de Albufeira, município que acolhe uma elevada percentagem do movimento turístico da região algarvia.

Subentende-se a conveniência de valorizar este bem cultural, de significado histórico-cultural impar na região. Para isso é necessário a continuação de obras de conservação e restauro dos módulos de taipa almóada, agora na Torre Albarrã utilizando, como em anterior intervenção piloto, os materiais e os processos construtivos compatíveis com a tipologia construtiva deste edifício histórico. O custo total da intervenção está previsto com um valor de oitenta e sete mil quatrocentos e oitenta e oito euros e cinquenta e dois cêntimos, a que acrescerá o IVA à taxa legal.

A Direção Regional de Cultura, que dispõe, com autoria do Arq. Manuel López Vicente, de um projecto de conservação e restauro, para a Torre Albarrã, desde 2010, não conseguiu até à data por questões de orçamentais, satisfazer aquele objetivo, apesar de  o ter mantido entre as suas prioridades.

De acordo com os dois protocolos assinados, dia 28 de julho, nos Paços do Concelho de Albufeira, a Direção Regional de Cultura do Algarve compromete-se a candidatar a obra ao CRESCE 2020,  a Câmara Municipal de Albufeira, em financiar a compartida nacional em 30 000 Euros  e a Fundação Milénio BCP em conceder  um mecenato no valor de 30  000 Euros.

Regista-se com satisfação esta parceria inovadora entre as três entidades, em favor da valorização do património algarvio,  de que devemos garantir a continuidade às gerações futuras.

Recorte do jornal Postal

Num artigo sobre as comunidades criativas, a cultura e o turismo reconhecíamos em 2008 como: "A cultura e as "indústrias criativas" têm sido determinantes para a (re)produção e (re)criação dos espaços urbanos; podemos mesmo afirmar que alguns locais foram reconstruídos ou até concebidos propositadamente para o turismo e para o lazer" - Gonçalves, A. (2008), - "As comunidades criativas, a cultura e o turismo", Revista dos Algarves, pp.10-18.

Falava-se à data na necessidade das cidades e das regiões de serem criativas, de promoverem novas estratégias de regeneração e de dinamização do seu tecido económico e social. [...]

(Todo o artigo, saído no jornal Postal- Cultura Sul, no dia 8 de julho, aqui)

 

Cartaz - A Sul Nenhum Norte

Exposição de Pedro Amaral - A Sul de Nenhum Norte

 

Inauguração no dia 14 de maio, nas  Ruínas de Milreu, em Estoi ­ Faro, pelas 17h30.

Encerramento 18 de setembro. 

A exposição " A Sul de nenhum Norte ", com obras do artista Pedro Amaral e curadoria da licenciatura em Artes Visuais, 

Este evento é promovido em parceria pelo CIAC e pela Direção Regional de  Cultura do Algarve (DRCAlg) com o objetivo de dinamizar a interação entre as  comunidades académica e local, estimulando diálogos entre arte e património  cultural da região através do desenvolvimento conjunto da programação de  exposições na Casa Rural das Ruínas Romanas de Milreu, localizadas junto à freguesia de Estói (Faro).

Sobre o artista:

Pedro Amaral vive e trabalha em Sintra. Sem formação artística, trabalhou  ativamente em ilustração nos anos 80 e 90.  A fundação com Alice Geirinhas e  João Fonte Santa do coletivo Sparring Partners em 1995 marca a entrada no  universo da Arte Contemporânea, contexto onde expõe regularmente desde  essa altura. A Pintura e mais recentemente o Desenho têm sido  os suportes  primordialmente escolhidos mas também o vídeo e a instalação e performance.  Da Galeria ZDB à integração de algumas exposições e dinâmicas marcantes  da década de 90 (em colaboração com nomes e comissários/artistas como  Paulo Mendes e Pedro Cabral Santo), de individuais em Galerias mainstream a  feiras  de  arte  internacionais,  mas  nunca  abandonando  os  contextos  mais  independentes e autónomos como oProjeto Museu – Casa Bernardo, o Pogo  Teatro,  o  Salão  Olímpico,   o   projeto  “Atlas  Secreto“  ou  os  mais  recentes   comissariados de arte panfletária de João Fonte Santa. O seu trabalho está  presente nas coleções Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Museu do Neo  Realismo, Fundação PMLJ e diversas coleções particulares em Portugal e no  estrangeiro.

LogotipoConferência do Grupo de Trabalho de Sistemas de Informação em Museus da BAD 

No dia 30 de setembro de 2016 irá realizar-se a Conferência do Grupo de Trabalho de Sistemas de Informação em Museus da BAD – Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas. Esta Conferência terá lugar no Porto, no Instituto Superior de Engenharia do Porto (Auditório H202).

Informações aqui

Cartaz

"Congresso Ibero-Americano: Património, suas matérias e imatérias"

O Congresso Ibero-Americano “Património, suas matérias e imatérias” a ocorrer em Lisboa, nas instalações do LNEC, nos dias 2 e 3 de novembro de 2016, procura criar o ambiente para a realização de diálogos cruzados entre investigadores, técnicos e especialistas, oriundos de diferentes áreas disciplinares, que estejam interessados em reflectir e discutir o Património Cultural nas suas componentes materiais e imateriais, incluindo as problemáticas socioculturais que lhe estão associadas.

O Congresso será uma organização do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), do Centro em Rede de Investigação em Antropologia do Instituto Universitário de Lisboa (CRIA) e o Centro de Estudos Internacionais do ISCTE-IUL (CEI-IUL)

Todas as informações em: http://patrima.lnec.pt/

Inscrições em: http://www.lnec.pt/pt/gca/index.php?id=788
 

Fortaleza de Sagres

Monumentos tutelados pela Direção Regional de Cultura do Algarve aumentam visitantes

Os monumentos com fruição pública controlada sob tutela da Direção Regional de Cultura do Algarve – Fortaleza de Sagres, Ermida de N.ª Senhora de Guadalupe (Vila do Bispo), Monumentos Megalíticos de Alcalar (Portimão) e Ruínas Romanas de Milreu (Faro) - registaram um aumento global de 10,3% de visitantes no primeiro semestre de 2016 relativamente ao período homólogo anterior.

A Direção Regional de Cultura do Algarve tem procurado divulgar e dinamizar os monumentos por si tutelados. Além das intervenções de reabilitação e valorização, que visam melhorar as condições de fruição, também a criação em 2014 do DIVAM - Programa de Dinamização e Valorização dos Monumentos, em parceria com várias associações culturais e municípios algarvios, oferece aos visitantes (muitos deles residentes) uma programação cultural variada, contribuindo para uma maior diversidade na oferta cultural complementar dos monumentos do Algarve, levando as comunidades próximas a revisitar o seu património.

A recente distinção do Promontório de Sagres com a Marca Património Europeu poderá, pelo seu reconhecimento, contribuir para o reforço da valorização deste património único a nível europeu e mundial.

 

Fotografia:  © DRCAlgarve/João Pedro Costa

Milreu - fotografia de Olavo

Novos horários nos Monumentos afetos à Direção Regional

No âmbito da entrada em vigor da Lei n.º 18/2016, de 20 de junho, que define as 35 horas de trabalho como limite máximo semanal dos períodos normais de trabalho, foi necessário proceder a alterações nos horários de abertura dos monumentos tutelados pela Direção Regional de Cultura do Algarve. 

Mediante o exposto informamos que a partir do dia 1 de Julho de 2016 os monumentos com estruturas de acolhimento afetos à Direção Regional de Cultura do Algarve têm o seguinte horário de abertura ao público:

FORTALEZA DE SAGRES

Maio a Setembro
Das 9:30 às 20:00
Última entrada 30 minutos antes do encerramento

Outubro a Abril
Das 9:30 às 17:30
Última entrada 30 minutos antes do encerramento

 



ERMIDA NOSSA SENHORA DE GUADALUPE / RUÍNAS ROMANAS DE MILREU

Maio a Setembro
Das 10:30 às 13:00 e das 14:00 às 18:30
Última entrada 30 minutos antes do encerramento

Outubro a Abril
Das 9:30 às 13:00 e das 14:00 às 17:00
Última entrada 30 minutos antes do encerramento

Entrevista da Drª Alexandra Gonçalves, Diretora Regional da Cultura do Algarve, ao Sul Informação e à Rádio Universidade do Algarve (RUA)

< previous12