• Fortaleza de Sagres | Foto Vanda Oliveira

    Fortaleza de Sagres | Foto Vanda Oliveira

  • Fortaleza de Sagres

    Fortaleza de Sagres

  • Fortaleza de Sagres | Foto: Vasco Celio

    Fortaleza de Sagres | Foto: Vasco Celio

  • Fortaleza de Sagres

    Fortaleza de Sagres

  • Ruínas Romanas de Milreu | Foto Adriana Nogueira

    Ruínas Romanas de Milreu | Foto Adriana Nogueira

  • Mosaico das Ruínas Romanas de Milreu

    Mosaico das Ruínas Romanas de Milreu

  • Casa Rural de Milreu

    Casa Rural de Milreu

  • Ruínas Romanas de Milreu

    Ruínas Romanas de Milreu

  • Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe - Foto: Vanda Oliveira

    Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe - Foto: Vanda Oliveira

  • Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe

    Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe

  • Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe | Foto Lenea Andrade

    Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe | Foto Lenea Andrade

  • Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe

    Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe

Monumentos do Algarve Bons Momentos Promontório de Sagres Património Cultural Imaterial Portal Cultura Portugal

Programa de Conservação e Requalificação das Ruínas Romanas de Milreu

Código da Operação: ALG-04-2114-FEDER-000010
Investimento Aprovado/Elegível: 529.870,00€
Apoio Financeiro  União Europeia:  317.922,00€
Apoio Financeiro Público Nacional/Regional: 211.948,00€
Região intervenção: Algarve
Entidade Beneficiária: Direção Regional de Cultura do Algarve
Data Aprovação: 21.12.2016
Data inicio: 01.01.2017
Data conclusão: 31.12.2020

Objetivo Principal:

O "Programa de Conservação e Requalificação das Ruínas Romanas de Milreu" tem 5 ações: conservação e manutenção dos mosaicos romanos; empreitada de reabilitação e manutenção da casa rural; restauro e requalificação do Templo de Milreu; requalificação do espaço exterior do Monumento de Milreu; ações de divulgação e promoção.

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos:

As Ruínas Romanas de Milreu estão classificadas como Monumento Nacional, publicação no Diário do Governo nº 136 de 23/06/1910. Compõem-se de uma grande casa senhorial ou Pars urbana, complexo de termas ou Balneum, lagares de vinho e azeite, instalações agrícolas e um templo consagrado a divindades aquáticas. Os vestígios arqueológicos ocupam uma área aproximada de 15.800 m2, composta por muros, pavimentos, tanques, desníveis, sistemas de canalização e arranques de abóbada com diversos revestimentos como rebocos, pinturas parietais ou mosaicos. Estes elementos representam a evolução construtiva da “Villa” romana de Milreu entre os séculos II e IV d. C. e vestígios de ocupação humana até ao século VI, um dos monumentos de maior valor artístico, arqueológico e patrimonial do Algarve. O “Programa de Conservação e Requalificação das Ruínas Romanas de Milreu” assenta nos princípios fundamentais de que constitui tarefa do Estado assegurar a transmissão da herança nacional através da salvaguarda e valorização do Património Cultural e constitui missão da DRCAlg gerir as Ruínas Romanas de Milreu e assegurar as condições para a sua fruição pelo público (Lei nº 107/2001 e D.L. nº 114/2012). Assim, a intervenção nas Ruínas Romanas de Milreu enquadra-se no Eixo Prioritário 4 – Reforçar a Competitividade do Território, Prioridade de Investimento 6.3 – Conservação, protecção, promoção e Desenvolvimento do Património Cultural e Natural do Programa Operacional CRESC Algarve 2020 e na secção 17 – Património Natural e Cultural, do Regulamento Específico no domínio da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (Portaria nº 57-B/2015 de 27 de Fevereiro). A villa Romana de Milreu enquadra-se no Nível 1 de Prioridade de investimento Regional.

Cofinanciado por:

Logotipos

<-- Regressar